26 janeiro 2017

Resenha do livro A Escolhida de Lois Lowry

26 janeiro 2017

Editora:  Arqueiro

Gênero: Ficção científica/ distopia/ drama

Número de páginas: 190

Valor estimado: Entre R$15,00 á R$25,00

Aonde encontrar: Leitura, Saraiva e Site Submarino

Sinopse:  Kira enfrenta muitos problemas. Ela tem a perna torta e com essa deficiência, sofre muita dificuldade para caminhar e é por conta disso, sofre olhares maus das pessoas que vivem em torno dela. Mesmo com muitos motivos para reclamar, ela leva uma vida "normal" lendo historinhas para as crianças da vila e exercendo um grande talento: fazendo bordados.

Como o dom da garota é inegável, logo que sua mãe morre, ela é designada para uma tarefa considerada uma honra. Kira fica responsável por restaurar os bordados de uma túnica centenária que conta a história do mundo. Ela começa a ficar abrigada no Edifício do Conselho, onde faz amizade com Thomas que é o entalhador responsável por restaurar o cajado que será usado na Congregação.

Thomas e Kira começam a ficar bem próximos e juntos e, eles começam a desconfiar que tudo o que estão fazendo está sendo apenas um disfarce para algo em que as pessoas se negam a ver e a pensar sobre.

Opinião: Como esse é o segundo livro da saga O doador, pensei que iria ser uma continuação do primeiro livro e iria saciar a minha curiosidade com o final tão emocionante de O Doador de Memórias, mas não. Ele trata os mesmos temas do primeiro livro mas com uma historia diferente, a impressão que se tem é que ambos personagens, vivem em lugares diferentes só que com ideias parecidas.

O livro não segue a história mas os mesmos temas abordados em O Doador de Memórias, são vistos em A Escolhida. Assim como Jonas, Kira descobre algo que é acobertado, disfarçado, escondido e o pior, manipulado.

Essa leitura nos leva a pensar e refletir (de verdade) sobre as coisas que acontecem na nossa vida, coisas que refletem o nosso dia a dia e o da nossa sociedade. Será mesmo que o "acaso" existe? E se tudo não foi planejado? E se estamos sendo levados a uma linha de pensamento por vontade do outro? Todas as perguntas surgem na cabeça das pessoas que lêem o primeiro e o segundo livro dessa saga. 

Lois Lowry não nos faz apenas apreciar uma leitura mas o mais importante, nos faz pensar, usar a cabeça de verdade e parar para refletir.A Escolhida, realmente não é uma distopia comum.

Se você ainda não viu por aqui a resenha do primeiro livro da saga clique aqui e confira tudo sobre o livro e o que achei dele.

O que você acha essencial em um livro? Pela sinopse, leria A escolhida?


Comente com o Facebook:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Todos os Direitos Reservados

Design & Desenvolvimento